Musica do Blog

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

SETEMBRO AMARELO Pela Valorização da Vida





Em regra, o homem não tem o direito de dispor da vida, por isso esta lhe foi dada visando cumprir deveres a cumprir na Terra, razão bastante para que não a abrevie voluntariamente sob pretexto algum. Mas ao homem - visto que tem o livre arbítrio - ninguém impede à infração a essa lei. Sujeita-se, porém, às suas consquências. 

Allan Kardec em O Céu e o Inferno




sexta-feira, 28 de julho de 2017

VIAJORES DA IMORTALIDADE



PARTIDA E CHEGADA 

Quando observamos, da praia, um veleiro a afastar-se da costa, navegando mar adentro, impelido pela brisa matinal, estamos diante de um espetáculo de beleza rara.
O barco, impulsionado pela força dos ventos, vai ganhando o mar azul e nos parece cada vez menor.
Não demora muito e só podemos contemplar um pequeno ponto branco na linha remota e indecisa, onde o mar e o céu se encontram.
Quem observa o veleiro sumir na linha do horizonte, certamente exclamará: Já se foi.
Terá sumido? Evaporado?
Não, certamente. Apenas o perdemos de vista.
O barco continua do mesmo tamanho e com a mesma capacidade que tinha, quando estava próximo de nós.
Continua tão capaz, quanto antes, de levar ao porto de destino as cargas recebidas.
O veleiro não evaporou, apenas não o podemos mais ver. Mas ele continua o mesmo.
E talvez, no exato instante em que alguém diz: Já se foi, haverá outras vozes, mais além, a afirmar: Lá vem o veleiro.
Assim é a morte.
Quando o veleiro parte, levando a preciosa carga de um amor que nos foi caro e o vemos sumir na linha que separa o visível do invisível dizemos: Já se foi.
Terá sumido? Evaporado?
Não, certamente. Apenas o perdemos de vista.
O ser que amamos continua o mesmo. Sua capacidade mental não se perdeu. Suas conquistas seguem intactas, da mesma forma que quando estava ao nosso lado.
Conserva o mesmo afeto que nutria por nós. Nada se perde, a não ser o corpo físico de que não mais necessita no outro lado.
E é assim que, no mesmo instante em que dizemos: Já se foi no mais Além, outro alguém dirá feliz: Já está chegando.
Chegou ao destino levando consigo as aquisições feitas durante a viagem terrena.
A vida jamais se interrompe nem oferece mudanças espetaculares, pois a natureza não dá saltos.
Cada um leva sua carga de vícios e virtudes, de afetos e desafetos, até que se resolva por desfazer-se do que julgar desnecessário.
A vida é feita de partidas e chegadas. De idas e vindas.
Assim, o que para uns parece ser a partida, para outros é a chegada.
Um dia partimos do mundo espiritual na direção do mundo físico; noutro, partimos daqui para o espiritual, num constante ir e vir, como viajores da Imortalidade que somos todos nós.

Victor Hugo, 


Victor Hugo poeta e romancista francês, que viveu no século XIX, falou da vida e da morte dizendo:
A cada vez que morremos ganhamos mais vida. As almas passam de uma esfera para a outra sem perda da personalidade, tornando-se cada vez mais brilhante.
Eu sou uma alma. Sei bem que vou entregar à sepultura aquilo que não sou.
Quando eu descer à sepultura, poderei dizer como tantos: meu dia de trabalho acabou. Mas não posso dizer: minha vida acabou.
Meu dia de trabalho se iniciará de novo na manhã seguinte.
O túmulo não é um beco sem saída, é uma passagem. Fecha-se ao crepúsculo e a aurora vem abri-lo novamente.

 Redação do Momento Espírita, com pensamentos finais de Victor Marie Hugo, do livro A reencarnação através dos séculos, de Nair Lacerda, ed. Pensamento.



ACREDITE



Acredite: sairemos desta situação que estamos vivendo de uma forma muito melhor. 
Nossa perspectiva é sempre ínfima e nossa análise quer ter razão, baseando-se nesta infimidade. Manter a fé. Estimulá-la talvez! Eu acredito que o que hoje parece um mal, faz parte de um projeto divino com proporções inatingíveis para nós. Tanto os bons como os maus estamos como miríades do Oceano, compondo ilhas inteiras sem saber. Continuar lutando sim, mas com inteligência e com fé, porque somente lobo é que cai em armadilha de lobo. Basta olhar para o passado para ver que, por pior que tenha sido, favorece-nos hoje e contribuiu para a edificação do bem por sobre a Terra.

André Ariovaldo - Orador espírita




domingo, 4 de setembro de 2016

LÁGRIMAS BENFAZEJAS


A lágrima é um meio
que a Natureza nos deu
para materializar excessos de nós
que não nos cabem
por dor, raiva, desilusão
incontida aflição ou desamor
alguma veleidade para atenuar
a ansiedade das esperas
da saudade
para aliviar a alma
consolo pra melancolia
pra intensidade da alegria
expressar felicidade
gotas que aos olhos lampejam
elas são, por isso e, muito mais
lágrimas benfazejas!



Maria Lucia (Centelha Luminosa)

sábado, 13 de agosto de 2016

TUDO PASSA - Mensagem de Esperança


Vai passar a amargura e, a ilusão
como tudo nessa vida passa
passam os dias de alegria
de prazeres à exaustão




tudo passa!...O tempo é ágil
nada existe que o segure
não há o que não se mature
nesse cadinho onde se forjam
sentimentos em ebulição...



acalma o teu desespero
no ardor de tua paixão
o que passa da conta é exagero
recomponha o coração...



busca em ti mesmo
aquela que em ti habita
que tantas vezes interditas
ao amparo de tua dor...



a que te inspira coragem
à serviço do amor
com voz suave a te convocar
sem mais tardança
na acústica de tua alma em confiança
essa missionária da vida - a Esperança!


Maria Lucia (Centelha Luminosa)





quarta-feira, 3 de agosto de 2016

VISÃO DO FUTURO




“O homem não se preocupará” com a vida futura senão quando vir nela um fim claro e positivamente definido, uma situação lógica, em correspondência com todas as suas aspirações, que resolva todas as dificuldades do presente e em que se lhe depare coisa alguma que a razão não possa admitir.


Allan Kardec, in OBRAS PÓSTUMAS sobre A VIDA FUTURA (1ª. Parte)

Jesus se refere claramente à vida futura
Sem a vida futura, com efeito, a maior parte dos preceitos de moral de Jesus não teria nenhuma razão de ser.
O dogma da vida futura pode ser considerado como o ponto central do ensinamento do Cristo.
Jesus veio nos revelar que existe outro mundo, onde a justiça de Deus se realiza. É esse mundo que ele promete aos que observam os mandamentos de Deus. É nele que os bons são recompensados. Esse mundo é o seu reino, no qual se encontra em toda a sua glória, e para o qual voltará ao deixar a Terra.



O que fizermos hoje depende nossa posição amanhã; e do que fizer amanhã, dependerá sua posição no dia seguinte.

Tal tem de ser para nós a vida futura, ligada à vida presente.

O homem vai verificar que o passado-presente-futuro se encadeia por inflexível necessidade, como o ontem, o hoje e o amanhã.

A perspectiva do futuro demonstrada pela Doutrina Espirita coloca o homem numa posição privilegiada no que diz respeito ao futuro, pois lhe demonstra de maneira muito clara o caminho a seguir.

A visão do futuro que o Espiritismo nos permite é poderosa alavanca para modificar positivamente comportamentos e atitudes. Isso porque ela é clara. Caso contrário, não teríamos porque nos motivar para mudanças. 



“Uma visão sem ação não passa de sonho. Ação sem visão é só passatempo. Uma visão com ação pode mudar o mundo.
De ato eu acredito que ter uma visão positiva do futuro, talvez seja o mais poderoso motivador que você e eu possuímos para mudanças.

Fonte : O poder da visão - Joel Barker







domingo, 31 de julho de 2016

MARCHA DO PROGRESSO








Comentário de Kardec:


Há duas espécies de progresso que mutuamente se apóiam e, entretanto, não marcham juntas: progresso intelectual e o progresso moral. Entre os povos civilizados, o primeiro recebe em nosso século todos os estímulos desejáveis e por isso atingiu um grau até hoje desconhecido. Seria necessário que o segundo estivesse no mesmo nível. Não obstante, se compararmos os costumes sociais de alguns séculos  atrás com os de hoje, teremos de ser cegos para negar que houve progresso moral. Por que, pois, a marcha ascendente da moral deveria mostrar-se mais lenta que a da inteligência? Por que não haveria, entre o século décimo nono e o vigésimo quarto, tanta diferença nesse terreno como entre o décimo quarto e o décimo nono? Duvidar disso seria pretender que a Humanidade tivesse atingido o apogeu da perfeição, o que é absurdo, ou que ela não é moralmente perfectível, o a experiência desmente.

Maria Lucia 





sábado, 30 de julho de 2016

O ESPIRITISMO É UMA TOMADA DE CONSCIÊNCIA DA RESPONSABILIDADE DO HOMEM

O Espiritismo não criou igrejas, não precisa de templos suntuosos e tribunas luxuosas com pregadores enfatuados. Não têm rituais, não dispensa bênçãos, não promete Lugar celeste a ninguém, não confere honrarias em títulos ou diplomas especiais, não disputa regalias oficiais.


Sua única missão é esclarecer, orientar, indicar o caminho da autenticidade humana e da verdade espiritual do homem.

Se não compreendermos isso e nisso não nos integrarmos estaremos sendo pedras de tropeço para os que desejam realmente evoluir, não por fora, mas por dentro. E esse por dentro não quer dizer reforma, mas desenvolvimento das potencialidades do espírito. 

A teoria da reforma intima é um engodo que levou muitos companheiros aproveitáveis à vaidade adulteradora. Não há reforma para o que não se estraga.




A expressão reforma intima é inadequada, pois implica a ideia de substituição de coisas, conserto, modificação em disposições internas, como numa casa ou numa loja. As disposições internas do espírito correspondem ao seu grau de evolução, como nos mostra a Escala Espírita de Kardec.

O espírito é vida e não arranjo. Seu desenvolvimento depende de experiências, estudos, reflexão — tudo isso com mente aberta para a realidade e não fechada em esquemas artificiais.

Ninguém se reforma nem pode reformar os outros. Mas todos podem superar as suas condições atuais, romper os limites em que a mente se fechou e transcender-se.

Os modelos de figurino espiritual são inócuos e até mesmo prejudiciais. A responsabilidade espírita é individual, cada qual responde por si mesmo e não pode prender-se a supostos mestres espirituais.



Não busca a ilusão de uma salvação confessional, mas aprofunda-se no conhecimento doutrinário para saber por si mesmo onde pisa e para onde vai...

Os que precisam de mestres não confiam em si mesmos, fazem-se ovelhas de um rebanho. No Espiritismo não há rebanhos nem pastores: há trabalho a fazer, afinidades a estabelecer entre companheiros em pé de igualdade, toda uma batalha a vencer, há os pesados resíduos teológicos, supersticiosos e obscurantistas que esmagam a ingenuidade das massas.



Os espíritas que ainda se alimentam de leite — como escreveu Paulo — precisam tratar de crescer e alimentar-se de coisas sólidas, consistentes. 


Escrito por Herculano Pires no livro 

"Curso dinâmico de espiritismo"




José Herculano Pires (Avaré, SP, 25 de setembro de 1914, — São Paulo, SP, 9 de março de 1979) foi um jornalista, filósofo, educador e escritor espírita brasileiro.

Destacou-se como um dos mais ativos divulgadores do espiritismo no país. Traduziu os escritos de Allan Kardec e escreveu tanto estudos filosóficos quanto obras literárias inspirados na doutrina espírita.


sexta-feira, 29 de julho de 2016

PELOS FRUTOS




“Por seus frutos os conhecereis.” – Jesus. (Mateus, 7:16.)


Nem pelo tamanho; 

nem pela configuração; 

nem pelas ramagens; 

nem pela imponência da copa;

nem pelos rebentos verdes; 

nem pelas pontas ressequidas;

nem pelo aspecto brilhante;

nem pela apresentação desagradável;

nem pela vetustez do tronco; 

nem pela fragilidade das folhas;

nem pela casca rústica ou delicada; 

nem pelas flores perfumadas ou inodoras; 

nem pelo aroma atraente;

nem pelas emanações repulsivas.


Árvore alguma será conhecida ou amada 
pelas aparências exteriores, mas sim 
pelos frutos, pela utilidade, pela produção.


Assim também nosso espírito em plena jornada...

Ninguém que se consagre realmente à verdade 
dará testemunho de nós pelo que parecemos, 
pela superficialidade de nossa vida, pela epiderme 
de nossas atitudes ou expressões individuais 
percebidas ou apreciadas de passagem, 
mas sim pela substância de nossa colaboração 
no progresso comum, pela importância 
de nosso concurso no bem geral.

– Pelos frutos os conhecereis” – disse o Mestre.
– “Pelas nossas ações seremos conhecidos” – repetiremos nós.


Ditado pelo Espírito Emmanuel
Médium: Francisco Cândido Xavier
Fonte Viva
4o livro da Coleção “Fonte Viva”


quinta-feira, 28 de julho de 2016

...E EIS QUE ELE SAIU A SEMEAR



...e eis que Ele saiu a semear
nas suas abençoadas andanças
preferiu pra este mister as nuanças
da personalidade humana

Semeia no coração sob o véu
da consciência adormecida
e não germina antes porque
são levadas pelas aves do céu...

Terra sem profundidade
coberta por cascalhos e pedregais
vem o calor de um sol sem Verdade
queima onde existem vazios existenciais...

O Semeador semeou entre espinhos
com amor, firmeza e paciência
mas havendo, ainda, o torvelinho
a semente sufoca a sua própria essência...

A boa terra, sem espinhos, ou sol quente
recebe a semente da Vida no espírito
ali germina, cresce e frutifica diferente
 elevando o Ser para o infinito...

O Semeador saiu a semear...
sementes do Amor Incondicional
ensina com bondade e sabedoria
a trabalharmos nossa própria melhoria!



Maria Lucia ( Centelha Luminosa)


Página de cartões com mensagens espíritas e espiritualistas


quarta-feira, 27 de julho de 2016

PEQUENOS GESTOS



Curioso observar como a vida nos oferece resposta
aos mais variados questionamentos do cotidiano...

Vejamos:

A mais longa caminhada só é possível passo a passo...
O mais belo livro do mundo foi escrito letra por letra...
Os milênios se sucedem, segundo a segundo...
As mais violentas cachoeiras se formam de pequenas fontes...
A imponência do pinheiro e a beleza do ipê  começaram ambas na simplicidade das sementes...
Não fosse a gota, não haveria chuvas...
O mais perfeito ninho se fez de pequenos gravetos...
E a mais bela construção não se teria efetuado, senão a partir do primeiro tijolo...
As imensas dunas se compõem de minúsculos grãos de areia...
Como já refere o adágio popular, nos menores frascos se guardam as melhores fragrâncias...
É quase incrível imaginar que apenas sete notas musicais
tenham dado vida à "Ave Maria", de Bach, e à "Aleluia", de Hendel...
O brilhantismo de Einstein e a ternura de Tereza de Calcutá
tiveram que estagiar no período fetal...
Nem mesmo Jesus , a expressão maior do Amor dispensou a fragilidade  do berço, por sinal, uma manjedoura.


... Assim também o mundo de paz, de harmonia e de amor com que tanto sonhamos só será construído a partir de pequenos gestos de compreensão, solidariedade, respeito, ternura, fraternidade, benevolência, indulgência e perdão, dia a dia...

Ninguém pode mudar o mundo, mas podemos mudar uma pequena parcela dele: esta parcela que chamamos de Eu.

Não é fácil nem rápido...
Mas vale a pena tentar!


Autor: Fábio Azamor




Maria Lucia (Centelha Luminosa)






Página contendo cartões com mensagens edificantes 


terça-feira, 26 de julho de 2016

MÁGOA - REFLEXÃO


Uma abordagem diferenciada e profunda para a mágoa.

"Quando um sentimento de mágoa surge, não foi alguém que nos magoou, mas nós que escolhemos nos sentir magoados.
Sempre há a possibilidade de escolher entre sentir-se magoado ou dar passagem a este sentimento e prosseguir em paz.
É impossível fazer mal a alguém, pois quando um mal nos acomete, ele surge de dentro de nós, de acordo com o significado que demos a um fato externo; não foi o que nos fizeram, mas como nós nos sentimos em relação ao fato. Tudo o que vemos, ouvimos e sentimos fora é uma forma individual de projetar o que realizamos dentro. Se a mágoa fere, tal ferimento não foi feito por alguém, mas sim uma opção a partir de nós mesmos."

- André Ariovaldo -

Muitos de nós sabemos, por informações ou, experiência própria, o que significa a mágoa no campo dos nossos sentimentos.

O Espírito Joana de Angeles pela psicografia do médium Divaldo Pereira Franco, compara a mágoa “à semelhança de ácido que corrói a superfície na qual se encontra, a mágoa desgasta, a pouco e pouco, as peças delicadas das engrenagens orgânicas do homem, destrambelhando lhe os equipamentos muito delicados da organização psíquica”.

É no dia a dia, em sociedade, no trabalho, em família, com os que caminham ao nosso lado, que aprendemos quem realmente somos, como agimos e reagimos convivendo com os defeitos e qualidades dos outros. É justamente nos conflitos de relacionamentos que retiramos as necessárias lições para identificar as origens de nossas aflições e mágoas.

Com o conhecimento de nós mesmos, auxiliado pelas informações espíritas, a mágoa ganha uma outra leitura, outra análise. Se até então, nos limitávamos apenas a pensar em ofensa vindo de fora pra dentro, passamos a refletir nessa emoção de dentro pra fora, ou seja, a mágoa não é uma ofensa externa que atinge alguém. Quem se magoa tem a mágoa dentro de si. Tem no interior a pré-disposição pra magoar-se.

Por isso, a mensagem do amigo André Ariovaldo é convite para que analisemos a nós mesmos, fazendo uma pergunta:

- Por que estou me deixando magoar tanto?”

Como prevenir  ou combater esse mal tão comum, e ao mesmo tempo tão dolorido que é a emoção da mágoa?

O Espírito Joana de Angeles, ressalta que a mágoa, no início, é de fácil combate, podendo ser expulsa mediante a oração singela e nobre.

“O melhor meio de combatermos os malefícios da mágoa é detectarmos implacavelmente os indícios de sua presença inferior, que conspiram contra a paz íntima. O ofensor merece nossa compaixão, nunca o nosso revide.

Aquele que persegue, ou seja, o provocador que faz gerar a mágoa, sofre desequilíbrios que desconhecemos.

Seja qual for a dificuldade que nos impulsione à mágoa, procuremos reagir, mediante a renovação de propósitos, não valorizando ofensas nem considerando ofensores.

Através do cultivo de pensamentos salutares, nos manteremos acima das viciações mentais que agasalham esse magnetismo mortífero que, infelizmente, se alastra pela Terra de hoje, pestilencial, danoso, aniquilador.

Buscar através da fé sincera, a renovação interior, e quando a provocação vier, por parte do ofensor, acionemos o empenho na direção do bem, desculpemos. Feridos nos melhores brios, perdoemos".

Joana de Angeles - Médium, Divaldo Pereira Franco.



André Ariovaldo tem 38 anos, nascido e residente na cidade de Sorocaba – SP. É casado com Edna Ap. de Brito (Galega), e tem dois filhos.

É palestrante, escritor espírita, e apresentador dos programas “Verdade e Luz” e “Dinâmica Espírita”.


Maria Lucia 

Visite também a página Mensagens em Cartões 



domingo, 24 de julho de 2016

O AMOR AO PRÓXIMO

Quem é o nosso próximo?

Podemos vê-lo, sob múltiplo aspecto:

Ao longo do tempo, desde o homem primitivo, passando por Moisés, por Jesus e finalmente com a Doutrina Espírita, podemos analisá-lo em sua forma de expressar seu relacionar com o outro.
O homem primitivo tinha uma vaga noção de quem era o próximo, e o via como seu semelhante.

Com Moisés, o semelhante era o outro...


Com Jesus, o outro, é irmão.


Finalmente, com a Doutrina Espírita, aprendemos que temos deveres com esse irmão. Esclarece-nos sobre as ligações do passado; dos compromissos assumidos; dos vínculos criados.


Mas... só vamos perceber que o outro é nosso próximo, quando sentimos que existe uma PESSOA por trás da sua  roupagem sócio cultural.


Ao tempo de Moises, imperava a Lei de Talião: "olho por olho, dente por dente".
Retribuímos ao próximo exatamente o que dele recebemos. Com o tempo, a forma de amor ao próximo também sofreu evolução.

Caminhamos, então, para o amor aos amigos:

Retribuímos a amizade
Cumprimentos
Atenção
Carinho



Uma troca particular de sentimentos.
QUEM É O INIMIGO?

Geralmente é aquele que nos aborrece. Que representa ameaça
Um perigo para as nossas vidas, nossos interesses, nossos bens...

Nós somos bons. Possuímos as coisas boas.
A virtude, a verdade.
Estamos com  a razão.

Nossos inimigos estão do outro lado.
Possuem os maus valores, a inferioridade.

Mas, nem sempre a verdade é essa.

Muitos defeitos dos outros, são partes nossas que não reconhecemos.

Vem, nesse sentido, a Doutrina Espírita pra nos esclarecer que o inimigo é aquele colabora na nossa evolução, desafiando a nossa sensibilidade, a nossa compreensão para exercitarmos a nossa capacidade de ajudar, de auxiliar.


O Mal e o Bem, os defeitos e as virtudes, fazem parte universal de cada ser humano.

Jesus nos ensina a amar com desse irradia para o objetivo da afeição sem exigir qualquer retribuição. Ensina-nos que a satisfação de amar está no prazer de dar amor e que ele, o amor é Deus em sua manifestação e a mais poderosa força magnética do universo.


Geralmente, é impossível para nós amar os inimigos porque supomos que eles são responsáveis por seus atos. Desconhecemos que muita das suas más ações tem motivos que eles mesmos desconhecem, como por exemplo, as dificuldades e frustrações atuais e do passado.

Com Jesus, aprendemos um  amor mais universal de amor ao próximo, sem distinção, seja ele, amigo ou inimigo.

O AMOR NÃO É ESTÁTICO.

Se apresenta como um processo contínuo e dinâmico em suas múltiplas formas:

Amor - cooperação
Amor - tolerância
Amor - perdão
Amor - participação
Amor - renúncia
Amor - caridade
Amor - aceitação
Amor - confiança

Através da perpétua descoberta do outro, em si mesmo.
Por isso, o ensino de Jesus:

Ama o teu próximo, como a ti mesmo!






Maria Lucia (Centelha Luminosa)
Fonte: Do livro "UM BOM COMEÇO"de Adalgisa Balieiro de Ribeirão Preto,

Visite também a página Mensagens em Cartões